9 de ago de 2017

Fugindo da justiça, Temer pede ao STF que retire Rodrigo Janot de seu inquérito

Documento foi protocolado no Supremo Tribunal Federal nesta terça-feira (8) pelo advogado de Temer, Antonio Mariz de Oliveira. Procurada, PGR não quis se manifestar sobre o assunto.


G1 

defesa do presidente Michel Temer pediu nesta terça-feira (8) ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Edson Fachin a suspeição do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. O advogado de Temer, Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, quer que Fachin retire Janot do inquérito que investiga o presidente (veja ao final desta reportagem a reprodução do pedido).

O procurador Rodrigo Janot (esq.); à dir., o presidente Michel Temer (Foto: Marcelo Camargo e Valter Campanato / Agência Brasil)
Na avaliação de Mariz, já se tornou "público e notório" que Janot "vem extrapolando em muito os seus limites constitucionais e legais inerentes ao cargo que ocupa". Ainda no pedido, o advogado afirma que a atuação de Janot é motivada, ao que "tudo indica", por questão "pessoal".

Procurada, a PGR não quis se manifestar sobre o assunto.


Com base nas delações de executivos do grupo J&F, que controla a JBS, Janot denunciou Temer ao STF pelo crime de corrupção passiva. Mas o Supremo só poderia analisar a denúncia se a Câmara autorizasse.

A maioria dos deputados, contudo, rejeitou o prosseguimento do processo e, assim, a peça do Ministério Público ficará parada até o fim do mandato de Temer, em 31 de dezembro de 2018.

No mundo político, porém, há a expectativa de que Janot ofereça nova denúncia contra o presidente, também com base nas delações da JBS. Segundo o colunista do G1 e da GloboNews Gerson Camarotti, o procurador-geral vê "forte materialidade" para a nova denúncia, pelo crime de obstrução da Justiça.

0 comentários:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós.

Pesquise