18 de abr de 2017

EUA oferece recompensa de US$ 50 mil para quem der informação do paradeiro de homem que matou idoso e transmitiu ao vivo Facebook

Estados de Pensilvânia, Nova York, Indiana e Michigan estão em alerta. Homem matou idoso e transmitiu assassinato em rede social.


Do G1

As autoridades americanas lançaram nesta segunda-feira (17) uma caçada em todo país do homem que transmitiu pelo Facebook o assassinato de um idoso de Cleveland e que anunciou sua intenção de continuar matando.

Em Cleveland, Ohio, a polícia disse acreditar que o suspeito, Steve Stephens, de 37 anos, está armado e é perigoso, e alertou autoridades de quatro estados vizinhos para que o procurem.

Steve Stephens, em imagem de arquivo da polícia, sem uma data específica
(Foto: Polícia de Cleveland / via AP Photo)
A polícia local conta com o apoio de agentes do FBI e da ATF, a Agência sobre Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos. Também foi oferecida uma recompensa de US$ 50 mil por qualquer informação que leve à prisão de Steve, incluído na lista dos suspeitos mais procurados do FBI.

Robert Godwin, de 74 anos, foi baleado e morto no domingo (16), tendo sido escolhido pelo suspeito aparentemente de forma aleatória, quando voltava para casa depois de um jantar de Páscoa, segundo a polícia e a imprensa de Cleveland.

"Sabemos que Steve ainda está à solta, em algum lugar", disse o chefe da polícia de Cleveland, Calvin Williams. "Nós não sabemos sua condição, e, claro, desconhecemos seu paradeiro. Pedimos que as pessoas permaneçam vigilantes", completou, afirmando que "a busca agora é basicamente em todo país".

A polícia emitiu um mandado de prisão por homicídio agravado contra Stephens, descrito como um homem negro, barbudo, de 1,85 metro e 110 kg. Ele foi visto pela última vez em um Ford Fusion branco com uma placa temporária.

Em um vídeo publicado na página de Stephens no Facebook, um homem que parece ser ele surge saindo de um veículo e se aproximando do alvo. A vítima é mostrada com uma arma na cabeça e depois caindo no chão, quando um tiro é disparado.

"Eu matei 13, então, estou trabalhando no 14º neste momento", diz o suspeito em um segundo vídeo. "Eu estou apenas dirigindo por aí atropelando filhos da puta, cara", completou.

De acordo com a polícia, Stephens transmitiu o assassinato no Facebook Live. Os vídeos foram removidos pelos administradores da rede social, e a conta do suspeito foi inabilitada cerca de duas horas depois de começar a postar o material. A polícia não verificou a alegação dos outros possíveis crimes.

O vice-presidente de operações globais do Facebook, Justin Osofsky, reconheceu, no blog da mídia social, que a retirada dos vídeos levou tempo demais. "Sabemos que temos de fazer melhor", declarou Osofsky. "Como resultado dessa terrível série de eventos, estamos revisando nossos informes para nos assegurarmos de que as pessoas possam reportar - facilmente e o mais rápido possível - os vídeos e outro material que viole nossos padrões", insistiu.

0 comentários:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós.

Pesquise