27 de out de 2016

Pode dar tchau! Juiz federal indefere liminar de Magno que continua Ficha Suja, rumo a impugnação

Antenor Ferreira 

A casa caiu! 


Enquanto Magno Bacelar e aliados usam blogs comprados e redes sociais, para tentar fingir tranquilidade, documentos recebidos por essa página mostram que o desespero tomou conta do candidato eleito, que ver a cada minuto o sonho de voltar a governar Chapadinha ir literalmente por água abaixo. 

Magno, ciente de sua inelegibilidade e iminente risco de impugnação de sua candidatura, corre contra o tempo em Brasília, tentando literalmente tapar o sol com a peneira. 

Acontece que o político ficha suja, como explanado amplamente por esse página e reconhecido pelo próprio Tribunal de Contas da União (TCU), que tornou público sua inelegibilidade ainda no ano de 2014, e que agora alegou erro técnico para justificar a ausência de seu nome na lista encaminhada ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), tentou mais uma vez empurrar goela da justiça a dentro, uma liminar que anularia a decisão do TCU, tornando inválida sua inelegibilidade. 

Bom, não precisa nem imaginar o que deu. 

O juiz federal Francisco Alexandre Ribeiro, do Tribunal Regional Federal da Primeira Região, indeferiu o pedido de tutela de urgência de natureza antecipada, visando acatar a liminar. 

Reparem, de ante mão os termos "urgência" e "antecipada". Incomum pra quem está tranquilo e convicto de sua posse. Só que não!

A decisão do magistrado foi publicada no último dia 25 de outubro, jogando por terra a alegação da defesa de Magno, que entre outros argumentos usou o de não ter sido "notificado" sobre tal condenação, fator que o teria impedido de apresentar defesa, as condenações já dadas por insanáveis. 

Veja despacho do juiz: 

Decisão de juiz federal dificulta ainda mais situação de Magno Becelar 


Que Magno ganharia com a liminar? 

Vendo o tempo correr e sentindo a corda asfixiando cada vez mais o próprio pescoço, Magno ver como última saída para evitar sua impugnação o acatamento dessa liminar, que tornaria nulos os acórdãos do TCU,que o deixaram inelegível pelo período de 8 anos. Ou seja, de 2014 a 2022. 

Com essa anulação a ação movida pelos advogados da coligação "Pra Frente Chapadinha", da atual prefeita Ducilene Belezinha (PRB), não surtiria efeito. 

Agora vamos aguardar os próximos capítulos dessa longa história, cujo o final antecipo: A decepção de Magno Bacelar e seus pouco mais de 19 mil eleitores, que acreditaram em sua balela. 

Um comentário:

  1. Kkkkk esse cara é um louco.
    Macho tenho certeza que tu estudou. Acho que tu deve saber que 19 mil é superior a 16 mil. Tu devia era posta palavras de consolo para o eleitorado do 10. Pois se tiver nova eleição a taca ainda vai ser maior

    ResponderExcluir

Sua participação é muito importante para nós.

Pesquise