10 de jul de 2016

Dono do facebook lamenta transmissão ao vivo, de assassinato em sua rede social



Nesta quarta-feira (6), o assassinato de Philando Castela foi transmitido para quase 2 milhões de pessoas ao vivo por meio do Facebook. A vítima, que tinha 32 anos, foi baleada por um policial durante uma blitz em Minnesota, nos Estados Unidos. 


Quem gravou toda a ação da polícia foi a namorada de Castela. Após os quatro disparos, Lavish Reynolds iniciou uma transmissão pelo Facebook Live, mostrando as consequências da tragédia. No vídeo, que foi divulgado em alguns canais da internet, é possível ver o desespero de Reynolds, que estava acompanhada, inclusive, de sua filha de quatro anos, que acabou vendo toda a situação. 

Diante de toda a repercussão do caso, Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, escreveu um comunicado lamentando o ocorrido. Infelizmente, tem se tornado cada vez mais comum que vídeos relacionados a situações de violência sejam transmitidos por meio da plataforma, gerando polêmica e preocupação sobre o uso da ferramenta. Vale lembrar que o vídeo foi retirado da rede social na manhã desta quinta-feira (7). 

Em sua fala, Zuckerberg contou toda a situação apresentada durante a transmissão e disse que espera que ninguém mais tenha de ver vídeos como esse. "Meu coração está com a família Castela e todas as outras famílias que sofreram este tipo de tragédia. Meus pensamentos estão também com todos os membros da comunidade do Facebook, que estão profundamente preocupados com esses eventos. As imagens que vimos esta semana são de partir o coração", disse o executivo, salientando a importância de que um mundo mais unido e conectado seja construído.

0 comentários:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós.

Pesquise