30 de mar de 2016

Aniversário de Chapadinha: A tragédia e a gorda mania de aproveitar a desgraça alheia

Antenor Ferreira 

Já virou  uma repudiável mania a prática oposicionista de fazer samba com a desgraça alheia. 

Chapadinha ficou chocada com o homicídio ocorrido na praça do Povo, na noite dessa segunda-feira, 28, quando ocorria show em homenagem ao aniversário de 78 anos de emancipação política do município. 


O logradouro estava lotado, como é de praxe na maioria dos eventos promovidos pela prefeitura. De repente um grande número de pessoas se assusta e eis que 6 pessoas são afetadas por um impensável ato de violência, que deixou o saldo de 1 morto e 5 feridos. 

O motivo do crime: Vingança

Um atirador o qual não foi capturado, mas que está sendo investigado pelo serviço de inteligência da Polícia Militar, e acredito eu que breve esteja detido, tinha como alvo um menor identificado apenas como "Marcinho", suspeito de tirar a vida de seu irmão, meses atrás. 

Ao tentar tirar a vida do menor, esse acabou atingindo pessoas que não tinham nada a ver com o acerto de contas, dentre as quais o jovem Thiago Xavier Souza, 18 anos, natural de Mata Roma, que acabou tendo sua vida ceifada no local. (Clique AQUI e veja matéria relacionada). 

Até aí, obviamente uma triste fatalidade. Um choque pairou sobre a população chapadinhense, que jamais esperaria tamanho ato de violência, em pleno aniversário de nosso município.  

Para a Oposição e seus fieis escribas, ou mesmo um em especial, a dor e choque não foi o suficiente. A gorda mania de aproveitar a desgraça alheia precisava entrar em cena e estampar manchetes de blogs e ganhar vidas em redes sociais. 

Buscou-se antes de mais nada responsabilizar o poder executivo, que cumpriu com o papel de disponibilizar guardas municipais e seguranças particulares no evento, além de pedir o apoio da Polícia Militar. Há de se convir que num espaço daquele tamanho, lotado de expectadores, infelizmente nem tudo pode ser evitado. 

Não surtindo efeito, restou apelar para uma suposta insensatez do governo que, não teria "interrompido" o evento que ali ocorria. 

Vendo isso faço algumas indagações: 

Se imaginarmos uma praça daquele tamanho com uma multidão de pessoas, e duma hora para outra uma festa tão aguardada ser interrompida, por conta dum trágico, porém isolado ato de violência, que sentimentos despertaríamos aos demais, que ali estavam festejando o aniversário de nossa cidade?

Eles não mereciam o respeito dos organizadores e atrações do evento, pagos com dinheiro das nossas contribuições?

Não poderia ali, com essa interrupção, ser desencadeada uma onda de revolta e violência, resultando numa tragédia ainda maior?

Outra, se a PM notasse o risco de prosseguir com o evento, não teria alertado as autoridades e público, encerando assim tal evento? 

Ou será que quem se dedica a dormir e levantar-se para ir somente até a escrivania destilar seu veneno, teria melhor competência para julgar tão impactante decisão?

Claro que a situação vivida gerou desconforto em muita gente. Mas para outros a festa de fato teria que continuar, pois ali estavam festejando um momento digno de festa, o alcançar de 78 anos de emancipação política do município. Os filhos dessa terra ali comemoravam esse grande e histórico momento. 

O executivo cumpriu com suas responsabilidades. Buscou garantir a segurança de quem ali estava e prestou o devido socorro as vítimas dessa tragédia. Socorro esse que segundo testemunhas ocorreu de maneira agiu, diminuindo o sofrimento de quem fora atingido pelos disparos. 

Não podemos taxar a líder do executivo de insensata, pois como ela havia pronunciado ainda em evento pela manhã, ela é prefeita de todos e todos que ali estavam mereciam respeito. Respeito pela dor. Respeito pela alegria de festejar o aniversário de nossa cidade. 

A hipocrisia da Oposição choca, pois de maneira inescrupulosa se espreme ao limite uma fatalidade, tão somente para tirar o brilho de uma grande festa e mais ainda tentar afetar a imagem de um governo, que buscou de maneira digna festejar o aniversário de sua cidade. 

Todos já sabem que a esses a política do quanto pior melhor é sempre bem vinda. Podem ter certeza que se a prefeita tivesse decidido ali interromper o evento, eles da mesma forma estariam tentando atingi-la  com outros argumentos, sem perder a "piada de mal gosto". 

Sobra vontade de destruir o poder público, mesmo não se tendo discurso. Não vi por exemplo nesse aniversário da cidade o discurso de um deputado que não preciso citar o nome, sobre a inacabada e abandonada obra do hospital regional de Chapadinha, enquanto o município vive com seu sistema de saúde sobrecarregado, sem a complementação de recursos do governo do estado, que deixaram de ser repassados a nossa cidade desde julho do ano passado (Clique AQUI e reveja matéria relacionada

Também não se viu esse mesmo deputado presentear o povo de Chapadinha com o anúncio da conclusão das obras do programa Mais Asfalto e do mercado público, que teve seus recursos literalmente trancafiados, para atender capricho do edil e demais aliados de Flavio Dino. 

Isso não se ver do caro deputado, ou mesmo nas linhas escritas pelo seu fiel escudeiro. Seu escriba serve somente para atacar, enquanto seu patrão silencia e foge da responsabilidade confiada por seus conterrâneos. 

Seria melhor a Oposição e esses serviçais cobrar de quem foi eleito pelo povo trabalho, pois disso o povo precisa. 

Tal atitude seria bem mais vista, que pregar um hipócrita sentimentalismo, que não esconde a maléfica e mesquinha realidade: Esses sentiriam-se mais felizes e saltitantes com tragédias ainda maiores, pois no jogo sujo da cartilha que rezam VALE TUDO

0 comentários:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós.

Pesquise