11 de mar de 2016

Adolescente é decapitada em acidente com ônibus escolar, no Espírito Santo

A vítima teve a cabeça decepada após colocar o corpo para fora da janela do ônibus escolar




Uma adolescente de 12 anos teve a cabeça decepada após colocar o corpo para fora da janela de um ônibus escolar e ser atingida por um poste. O acidente aconteceu no início da tarde desta quarta-feira (09) no bairro Vila Luciene, em Barra de São Francisco, no Noroeste do Estado.
Imagens: Whatsapp 

Segundo a Polícia Militar, a vítima, Kailane Karla Lino, de 12 anos, estava indo para a Escola Municipal João Bastos quando aconteceu o acidente. O ônibus pertence a Prefeitura Municipal de Barra de São Francisco.
O acidente com Kailane comoveu a comunidade de Vila Luciene, bairro de Barra de São Francisco, Norte do Estado. Dezenas de crianças estavam na praça na entrada do bairro e presenciaram o acidente que matou a jovem. Muitos deles eram colegas da jovem.
O comerciante Deolindo Gomes da Silva estava em seu bar, 65 anos, quando ouviu a gritaria. “O desespero era grande e fui ver o que tinha acontecido. Entrei no ônibus e vi o corpo da menina no chão, todo ensanguentado. O resto estava na rua.”
O comerciante era amigo da família da garota. “Assim como eu, o avô dela, José Lino, também é comerciante e sempre nos ajudamos”, relata.
Kailane era assídua em seu bar. “Vi aquela menina crescer. Todo dia ela passava aqui para comprar um doce com as amigas. Fica um vazio no coração da gente. Vai fazer muita falta”.
Segundo Deolindo, vários jovens estavam na praça no momento do acidente. Alguns retornavam para casa da escola e tinham vindo no mesmo ônibus em que ocorreu o acidente e outros aguardavam para seguir para a Escola Municipal João Bastos, distante cerca de seis quilômetros do bairro. “Eles viram tudo acontecer. Imagina a loucura que ficou aqui. Parou a rodovia”, relatou Deolindo.
O acidente envolveu um ônibus da Prefeitura de Barra de São Francisco que fazia o transporte escolar. No momento da tragédia vários adolescentes estavam no veículo. Kailane estava sentada na última cadeira, na janela. Estava com a cabela do lado de fora acenando para o namorado.
Não há acostamento no local. Uma faixa de terra margeia a ES 080 que dá acesso à Barra de São Francisco. Uma pequena vala na faixa de terra teria feito o veículo se inclinar e a parte de trás encostou no poste, exatamente no local onde estava a jovem. A cabeça dela acabou sendo cortada pela parte de metal que sustenta os vidros. Por ironia, relata Deolindo, é a única janela do ônibus que é aberta. As demais são fechadas com vidro.
Para o presidente da Associação dos Moradores de Vila Luciene e Vila Izabel (Umovilas), Pedrinho Godoy, o que ocorreu foi uma fatalidade.
“Uma tragédia que abalou uma comunidade que já é muito sofrida. A violência neste bairro é cotidiana”, relata.
A luta do bairro agora é conseguir com o DER a sinalização daquele trecho da rodovia e também do bairro. “O trânsito é intenso por aqui, um local onde transitam muitos estudantes”, destacou.
Durante a tarde desta quarta-feira (9), a Defesa Civil da cidade, assim como assistentes sociais e psicólogos estiveram local no local para orientar e dar apoio à família na preparação do enterro que, até a última atualização desta matéria ainda não tinha o horário marcado.
“Ela era o meu conforto”, desabafou Irene de Jesus Lino, 57 anos. Sem conseguir se manter em pé, ela sentou na escada para falar de sua neta. “Ela pediu para ser acordada às 5h30. Queria dar uma limpeza geral na casa antes de ir para a escola. Limpou tudo, passou pano em tudo. E foi embora...”
Chorando muito ela relatou que foi o marido que a avisou, no abrigo municipal onde trabalha, da morte da neta. “Quando o vi pensei logo que algo tinha acontecido. Ele foi logo dizendo: mataram a nossa Kailane. Meu coração parou... Ela era tudo para mim. Não me conformo. Não faz nem um ano que enterrei um filho e agora minha neta...”
Segundo a avó, nos últimos dias Kailane fazia planos para o seu aniversário. “Ela queria uma cesta de chocolate, com um ursinho. Falei que eu me esforçaria para comprar”. A jovem faria aniversário no dia 21 de maio.
Delegado informou que não houve erro do motorista
Segundo o delegado plantonista de Barra de São Francisco, Tarsis Gondim, a estudante estava indo para a Escola Municipal João Bastos quando aconteceu o acidente.
Ela estava com a cabeça para fora da janela enquanto o ônibus estava parado para embarque e desembarque de alunos. Na hora do acidente, cerca de 30 pessoas estavam dentro do veículo.
O delegado informou que a rua possui um desnível, por isso o motorista teve de arrancar com o ônibus no momento que a vítima estava com a cabeça para fora, acertando um poste. O corpo e rosto ficaram a 50 metros de distância.
Em depoimento ao delegado, três meninas que estavam dentro do ônibus disseram que Kailane já havia colocado a cabeça para fora do ônibus outras vezes, sendo alertada pelo motorista para não fazer isso.
Após o acidente, o motorista deixou o local. Em depoimento ao delegado, ele afirmou que tem problema de pressão alta e começou a passar mal após ver o corpo, entrando em estado de choque.
Por causa disso, ele foi conduzido por uma pessoa até uma farmácia, mas, em seguida, foi para a delegacia prestar depoimento. “Inicialmente ele não vai responder por nenhum crime, não vi nenhuma conduta errada por parte do motorista”, conclui.
O secretário de educação da Prefeitura Municipal de Barra de São Francisco, Aldair Antônio Rhein, afirmou que o ônibus, que pertence ao município, transportava adolescentes maiores de 12 anos, por isso não havia ninguém para tomar conta dos alunos.
O executivo decretou três dias de luto na cidade. “Estamos prestando total assistência à família da vítima, fizemos contato direto com eles e enviamos psicólogos e assistentes sociais. Foi todo mundo pego de surpresa, ficamos com um pesar muito grande e pedimos a Deus que conforte a família nesse momento difícil”, comenta.

0 comentários:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós.

Pesquise