1 de set de 2015

Justiça determina bloqueio de bens e quebra de sigilo bancário do prefeito "Moreirão" e primeira "dama", em Santa Quitéria/MA

Antenor Ferreira 

Foto arquivo do prefeito "Moreirão", 1ª dama Dalila e ao
fundo a filha do prefeito, secretária de educação do
 município, Sâmia Moreira 
O "bicho tá pegando" em Santa Quitéria-MA. Depois de duas sessões polêmicas, em que parlamentares tentaram instaurar CPI, para investigar denúncias de corrupção, na administração do prefeito Sebastião Araújo Moreira (PR), o "Moreirão" (Clique AQUI e AQUI para rever matérias), a justiça determinou a indisponibilidade dos bens do gestor do município, da "1ª dama", Dalila Pereira Gomes, e do empresário Arquimário Reis Guimarães, titular da empresa A. Reis Guimarães até o limite de R$ 2.069.154,00. (dois milhões sessenta e nove mil, cento e cinquenta e quatro reais e zero centavos).

A decisão foi tomada após a constatação de atos de improbidade, praticadas pela administração pública, especialmente na área de saúde e de contratação de pessoal.
FARRA DE CONTRATAÇÃO
O Ministério Público citou como principais irregularidades praticadas pelo líder do executivo, a contratação da empresa A. Reis Guimarães para o fornecimento de mesmo objeto, contratado junto à empresa Dismabel, primeira contratada, com verbas destinadas à Saúde, bem como a transferência de R$ 2.069.154,00, para a compra de material hospitalar, nunca entregue, e ainda a farra de contratação de parentes do prefeito e primeira dama.  
FARRA DE IMÓVEIS
O juiz, Jorge Antonio Sales Leite, que determinou a ação, destacou ainda a compra de bens móveis incompatíveis com as rendas de "Moreirão" e sua companheira, citando a compra de um apartamento, adquirido recentemente por Dalila, em São Luís, no valor de R$ 641.300,00. As investigações apontam que  R$ 128.000,00 foram pagos à vista, pela 1ª dama. É mole?
CPI
Inconformados com o descalabro que pairou sobre o município, parlamentares tentaram de todas as maneiras criar uma CPI, para investigar os atos de corrupção do prefeito, mas foram barrados pelo presidente da câmara,  Antonio José dos Santos Araújo, sobre orientação do assessor jurídico da casa, Salatiel.
A expectativa é que nessa quinta a CPI saia do papel, atendendo o clamor dos quiterienses, que não aguentam mais as farras da gestão "Moreirão". 

0 comentários:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós.

Pesquise