28 de ago de 2015

Prefeita Belezinha reúne sociedade e órgãos competentes, para discutir soluções para a falta d'água em Chapadinha

Aluízio e Belezinha reafirmaram a necessidade da união de todos, inclusive setores de oposição, para solucionar o problema.

Extraído do CN1


A prefeita Belezinha realizou no fim da tarde desta quinta (27),  no auditório da Prefeitura de Chapadinha, uma reunião para tratar do problema do abastecimento de água na cidade. A prefeita Ducilene Belezinha ao lado da Caema, secretários municipais, câmara de vereadores - inclusive oposição -, UFMA, diretores de escolas e representantes de entidades, discutiram o tema em busca de soluções para a situação da Itamacaoca.

A gerente regional da Caema, Rosângela Portela, disse que a partir de terça, 1° de setembro, o poço profundo do Recanto dos Pássaros, começa a funcionar, com uma vasão inicial de 40 m³ e que o da sede (Centro), recebeu hoje nova bomba, que vai aumentar a vasão para 80 m³, o que deve amenizar o problema em grande parte da cidade.

Rosângela garantiu ainda, o início do funcionamento do poço profundo do Bairro Novo para o dia 15 de outubro. A prefeita Belezinha e o secretário de Infraestrutura, Aluízio Santos estiveram reunidos hoje à tarde, em São Luís, com o presidente da Caema, Davi Teles - que estará em Chapadinha na próxima semana -, cobrando celeridade nas obras da Macaoca e na conclusão destes poços.

A prefeita Belezinha e a presidente da Câmara, Márcia Gomes, fizeram duras críticas à Caema, que é a responsável pelo abastecimento de água na cidade e que não fez os investimentos necessários para evitar que a situação chegasse esse ponto.

Aluízio e Belezinha reafirmaram a necessidade da união de todos, inclusive setores de oposição, para solucionar o problema. No encontro estavam presentes, além da presidente da Câmara, Márcia Gomes, os vereadores Samuel Nistron, Lívia Saraiva e Francisca Aguiar, da base aliada e os de oposição, Manim Lopes, Misse Clay Araújo e Eduardo Braga.

Aluízio cobrou da Caema, uma fiscalização mais rigorosa na área da Macaoca e em toda a cidade, principalmente nos lava jatos, para evitar o desperdício de água.






O presidente do Comitê da Bacia do Rio Munim, o geólogo Carlos Borromeu, que já foi funcionário da Caema, culpou a empresa e, em especial, o presidente da companhia, Davi Teles, que, seguindo ele, não tomou as providências quando deveria. "A Caema não respeita o povo do interior", destacou Borromeu.




Os vereadores Manim, Samuel e Braga disseram que é hora de uma ação imediata das autoridades, e que todos estão prontos para ajudar no que for preciso.


Os professores da UFMA, Cláudio e Régis Catarino, disseram que há cerca de 9 anos, quando chegaram a Chapadinha, vem alertando para o problema e que estão dispostos a contribuir na busca de soluções. Régis destacou trabalho que ele e colegas de UFMA realizaram na Macaoca.

0 comentários:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós.

Pesquise