11 de ago de 2015

Mineiro que perdeu 217 kg pede ajuda para retirar 13 kg de pele

Lucas Tristão, de 31 anos, emagreceu após perder a mãe, que também era obesa

Do R7 

Um dos momentos mais dolorosos da vida de Lucas Tristão, de 31 anos, se transformou no ponto em que ele começou a se transformar em uma pessoa diferente. O mineiro de Bom Jesus do Galho, no Vale do Rio Doce, perdeu a mãe em novembro de 2013. Rosilene Tristão morreu aos 57 anos devido a um infarto fulminante. Ela, assim como o filho, era obesa, e, por isso, tinha graves problemas de saúde. O choque da perda fez com que ele quisesse mudar seu destino: na época, Tristão já pesava 320 kg e decidiu que não sofreria o mesmo que aconteceu com a mãe e afirma que “estava caminhando para morrer também”. 


Começou então a longa caminhada de cerca de um ano que fez com que ele perdesse 217 kg sem cirurgia. Com a ajuda de uma nutricionista, Tristão mudou a alimentação e manteve o foco. Foram dias difíceis e sacrificantes, mas, aos poucos, os resultados apareceram: no primeiro mês, 17 kg foram embora. Ansioso para perder peso, ele chegou a ser mais rigoroso do que a própria dieta recomendava. 

— Ela [a nutricionista] não puxou muito as rédeas não, mas eu passava por cima. Ela dizia que eu podia comer três mini pães e eu comia meio. Eu queria emagrecer a qualquer custo.



Hoje, com 103 kg, ele enfrenta outro desafio: luta para arrecadar dinheiro e conseguir pagar a cirurgia para a retirada de aproximadamente 13 kg pele. A flacidez causada pelo processo rápido de emagrecimento está acumulada na barriga, nas pernas e até nos braços. Atualmente, o mineiro está na fila para conseguir a operação pelo SUS (Sistema Único de Saúde), mas pede ajuda para poder arcar com o procedimento e, enfim, voltar a ter uma vida normal. 

— Me incomoda demais, eu tenho dificuldades para andar por muito tempo, por exemplo. No SUS é difícil, porque eles falam que o procedimento é estético, mas eles não sabem o que eu estou sentindo. Eu quero voltar a trabalhar, tenho família para cuidar.


0 comentários:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para nós.

Pesquise